quarta-feira, 21 de outubro de 2009

o marinheiro

A "Capital da Onda" não conseguiu, no último fim-de-semana, capitalizar o melhor dos cenários, e as estrelas do Pro Search limitaram-se a calcorrear aquilo que havia, com destaque para os spots a norte do Baleal.
Também lá fomos, em caravana, numa incursão de todo-o-terreno, no final da tarde de sábado, para desfazermos o que ia sobrando em frente às escarpas cor-de-laranja, para lá dos Belgas.
Foi nessa precisa ocasião que se juntou a nós um novo amigo, com a sua enorme barcaça amarela, mais pesada que um petroleiro, e o remo da praxe. Uma logística supostamente inadequada a quem se alimenta à base de legumes, sobretudo com terrenos declivados para vencer, entre a porta do automóvel e a da praia.
Mas o artista não se queixou. Apesar de, mais tarde, nos ter vindo a confessar que não comia carne (por razões que só ele sabe), fez descer e subir airosamente pela falésia o couraçado – nada que espantasse, pois também ele parecia um Popeye acabadinho de comer espinafres, capaz de dar umas chapadas num qualquer Brutus que o dropinasse.
Lá em baixo, mesmo sem ondas de encher o olho, mostrou que, para ele, o paddle surfing não tinha segredos. Lá soubemos, entre as bifanas do jantar e o pão de canela feito por ele (talvez o domínio da pá de padeiro lhe tenha aguçado o jeito para o remo), que o nosso amigo era aveirense.
Mal nos viu, pela manhã do dia seguinte, saiu-lhe de pronto, num tom simpático, como se já nos conhecesse desde o tempo dos candeeiros a gás: “Então, hoje, onde é que é?”
Daí a instantes, acompanhava-nos. Nós a butes, pela orla da baía, e ele a remo, que eram óbvias as vantagens de ser o “barco” a transportá-lo, em vez do oposto.
Fomos morrer num pico lustroso, onde não morava mais ninguém. Lá rolámos, à vez, numas marrecas de meio metrinho, até que viessem anestesiá-las o backwash e a maré cheia.
“Quem era o gajo da prancha amarela?”, perguntar-me-ia, posteriormente, o paparazzo João Rosado. E compreendia-se a interrogação, pois no rol de fotografias que tirou à socapa e me forneceu para pôr no blogue, lá estava o dito marinheiro omnipresente!

1 comentário:

vitor disse...

Olá, Olá a todos valeu a surfada de sábado pelo grupo e tambem pelo por de sol, era coisa que eu já não via dentro de água à muito tempo.... valeu.E pela noite, belo espirito vosso, mt bom (.....ah..... as sandes vegetarianas do bar da praia são mt boas)
Domingo foi bom, ver a atitude do alex e do andré para o "paddle" para a primeira vez, muito bom..... Força